Dieta dos Pontos

Dieta dos Pontos
maças com uma fita para medir emagrecimento

O segredo do sucesso de um emagrecimento sustentado está no facto de ingerir menos calorias por dia, ou seja, mais importante do que aquilo que se come, são as quantidades consumidas. É esta a filosofia por de trás da Dieta dos Pontos, criada pelo endocrinologista Alfredo Halpern. Semelhante à Dieta Nota 10 (que transforma as calorias em notas), a Dieta dos Pontos transforma as calorias em pontos, simplesmente porque é uma forma mais fácil de fazer contas àquilo que se consome, de forma a não cometer excessos.

Ponto a ponto

Na Dieta dos Pontos, tal e qual indica o seu nome, as calorias são transformadas em pontos, ou seja, 1 ponto vale 3,6 calorias e os alimentos passam a ser vistos à luz destes pontos. Por exemplo, a fruta e os legumes valem 10 pontos, o pão e as bolachas rondam os 20 pontos, a carne entra na categoria dos 25 pontos e assim sucessivamente. Para além de ser mais agradável e fácil contar pontos em vez de calorias, é possível comer-se de tudo, sem restrição, desde que não ultrapasse o número de pontos diários previstos para cada caso em particular. A Dieta dos Pontos prevê a perda de 4 kg por mês, recomenda a prática regular de exercício físico, contribui para a manutenção do peso ideal conquistado e assume-se como o primeiro passo em direcção a um estilo de vida mais salutar.

A quantos pontos tenho direito?

O cálculo dos pontos específicos para cada pessoa exige várias contas, mas este processo está muito bem explicado no livro “Dieta dos Pontos”, disponível para download gratuito em formato de e-book. Para saber a quantos pontos tem direito é necessário calcular a taxa de metabolismo basal (TMB), a necessidade diária de energia, os pontos que essa necessidade enérgica representa e o índice de massa corporal (IMC). Este cálculo varia conforme o sexo, idade, peso e altura de cada pessoa.

O livro diz tudo

Conhecido o seu saldo específico de pontos, o próximo passo é aprender a comer – uma área que é amplamente explorada no livro “Dieta dos Pontos”, onde é explicado a importância dos nutrientes, minerais, proteínas, gorduras, fibras, vitaminas e hidratos de carbono para que saiba comer com conta, peso e medida… mas também com prazer. Para além disso, é necessário familiarizar-se com as tabelas dos alimentos, onde encontra mais de 1300 produtos cujas calorias já foram convertidas em pontos para facilitar a sua contagem diária. Se preferir, existe uma tabela interactiva online para consultas igualmente rápidas e fáceis. Como os alimentos estão divididos em categorias – carnes, peixes, frutas, vegetais, doces, leites, queijos, sanduíches, molhos, bebidas e até comida portuguesa ou japonesa – depressa aprenderá a atribuir os pontos conforme cada classe de alimentos. A Dieta dos Pontos incentiva as pessoas a aprender a comer de tudo um pouco, de forma equilibrada e saudável, mas sem ter de se privar dos seus pratos ou sobremesas preferidas, de forma a adoptar uma alimentação saudável para a vida.

Equilíbrio perfeito

Digamos que o cálculo do consumo de calorias ideal para perder peso é de 1200 por dia – segundo a Dieta dos Pontos isso equivale a 330 pontos diários. Claro que tem a liberdade de planear os seus menus da forma que quiser desde que não ultrapasse o limite recomendado de pontos. No entanto, a ideia não é consumir pão e bolo de chocolate o dia inteiro, mas sim, elaborar refeições equilibradas e saudáveis, onde também haja espaço para os seus alimentos favoritos. A Dieta dos Pontos sugere este balanço para conseguir um emagrecimento gradual e sustentado: 50-60% de hidratos de carbono, 10-15% de proteínas e 0-30% de gorduras. Traduzida por pontos e seguindo o caso dos 330 pontos diários, estamos a falar em qualquer coisa como 165-198 pontos em termos de hidratos de carbono; 33-50 pontos em termos de proteínas; e não mais do que 100 pontos em termos de gorduras. A ideia é variar o máximo possível os alimentos que compõem cada refeição e não esquecer a velha máxima de que quanto mais colorido o prato, mais nutritiva a refeição.

Sugestão de um menu diário

No caso de uma pessoa que tem no seu “saldo” diário 400 pontos, sugerimos o seguinte menu, que é apenas um exemplo entre os milhares de cardápios que são possíveis elaborar segundo a Dieta dos Pontos:

Pequeno-almoço (45 pontos)

  • 1 iogurte light
  • 1 taça (6 colheres de sopa) de salada de fruta

Almoço (95 pontos)

  • Salada de vegetais (do Grupo 1) à discrição
  • Esparguete (1 chávena de chã) com molho de tomate à bolonhesa (2 colheres de sopa)

Lanche (25 pontos)

  • ½ pão com requeijão light (1 colher de sopa)

Jantar (195 pontos)

  • Salada de vegetais (do Grupo 1) à discrição
  • 2 colheres de sopa de salada de vegetais (do Grupo 2)
  • 1 colher de sopa de maionese
  • 5 fatias de picanha
  • 3 fatias de maminha
  • 1 cerveja (300 ml)

*Nota: ainda sobram 40 pontos para completar uma refeição como o pequeno-almoço ou almoço; ou então fazer um lanche a meio da manhã, por exemplo.

Classifique o artigo

Average: 3.6 (28 votos)