Comprimidos para emagrecer: sonho ou pesadelo?

Comprimidos para emagrecer: sonho ou pesadelo?
Mulher deitada com comprimidos por cima da barriga

Atualmente, perder aqueles quilinhos a mais indesejados tem sido um dos grandes desejos de homens e mulheres. Com isso, a ingestão de remédios utilizados para a conquista desta meta se torna uma tentação. Mas será que vale a pena? As desvantagens deixam uma lista extensa para aqueles que pretendem fazer uso dos comprimidos para emagrecer, tais como: enjôo, boca seca, insônia, taquicardia, depressão e irritabilidade são apenas alguns exemplos de efeitos colaterais que podem ser ocasionados pela ingestão deste tipo de medicamento.

Brasil: país que mais consome moderadores de apetite

Os comprimidos para emagrecer (anfetaminas, anorexígenos e hormônios) são indicados somente para pessoas que estão em tratamento contra a obesidade, porém, o uso deste tipo de medicação só é recomendado quando outros tipos de tratamento não surtiram o efeito desejado. A venda desse tipo de medicamento no Brasil, apesar de ser proibida sem a receita médica, tem sido realizada sem qualquer tipo de fiscalização e comprada por qualquer pessoa, sem mesmo realizar uma consulta médica antes. Tanta facilidade deixa o Brasil na liderança do ranking mundial de consumo de moderadores de apetite. Numa pesquisa recente realizada pela ONU, o Brasil, junto com os Estados Unidos e a Argentina, são responsáveis pelo consumo de 78% dos estimulantes no planeta. Os comprimidos para emagrecer mais consumidos são as anfetaminas e os compostos derivados, como anfepramona e fenproporex, grande parte deste consumo comprado de forma ilegal.

Comprimidos para emagrecer: valem mesmo a pena?

Será que a ingestão desses medicamentos valem mesmo a pena? Os comprimidos para emagrecer costumam apresentar resultados de forma rápida e constante, porém, por outro lado, têm alguns efeitos colaterais que podem reduzir a sua qualidade de vida. Estes são alguns dos efeitos secundários dos comprimidos para emagrecer mais comuns:

  • Moderadores de apetite derivados de anfetamina (Catecolaminérgicos), que atuam na diminuição da sensação de fome: os efeitos colaterais incluem agitação, insônia, aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial.
  • Moderadores antidepressivos que aumentam a sensação de saciedade (Serotoninérgicos), indicados para obesos deprimidos, bulímicos e em casos de compulsão alimentar: os efeitos secundários incluem insônia, aumento da pressão arterial, boca seca, diminuição de libido, dores de cabeça.
  • Medicamentos Serotoninérgicos + Catecolaminérgicos, diminuem a ingestão de calorias e aumentam o gasto calórico: os efeitos colaterais podem incluir insônia, agitação, euforia, boca seca, tremor, palpitação, taquicardia e aumento da pressão arterial.
  • Medicamentos usados para diminuir a absorção da gordura dos alimentos pelo organismo (Orlistate) (30% da gordura ingerida deixa de serem absolvida e é eliminada pelas fezes): se a pessoa não fizer uma dieta regular e continuar alimentando-se de forma inadequada, com grande quantidade de gordura, terá muita eliminação de gordura, ou seja, irá com frequência ao banheiro e terá evacuação amolecida e muito gordurosa.

O que dizem os médicos?

Alguns médicos alegam que a interrupção na ingestão desses medicamentos pode ocasionar na recuperação do peso perdido durante o uso dos comprimidos para emagrecer, uma má qualidade de vida física e alimentar. Pode ainda gerar o indesejado efeito “sanfona”, quando recupera o que foi perdido com a ingestão do remédio; ou às vezes, ainda pior, com o efeito “espiral”, quando o ganho de peso é ainda maior.

Tomar ou não tomar?

Para evitar esses efeitos indesejados, lembre-se que antes de tomar qualquer tipo de medicamento, você deverá procurar um profissional especializado, após estudos e exames, o médico irá determinar o que será melhor para sua saúde. Em hipótese alguma você deverá tomar qualquer tipo de comprimido para emagrecer sem o acompanhamento médico, pois, poderá acarretar graves problemas a sua saúde, inclusive em casos extremos, a morte. Recorrer apenas a comprimidos para emagrecer, sem mudar seu estilo de vida, ou seja, fazer uma alimentação adequada e praticar exercícios físicos regulares não fará com que você tenha sucesso no tratamento e, desta maneira, uma qualidade de vida melhor. Converse com seu médico e decida em conjunto com ele, medidas que possam ajudá-lo a emagrecer de forma saudável.

Classifique o artigo

Average: 3.9 (8 votos)
Comentários(4)

Add comment

Inicie sessão ou registe-se para publicar comentários
Igor Santos Lima

Muitas pessoas por não compreenderem o processo de emagrecimento lento e querer uma solução rápida e fácil para o problema, acabam tomando os medicamentos de qualquer maneira e muitas vezes sem prescrição médica. Encontrei um artigo bacana em http://metodofitness.com/artigos/acreditava-remedios-emagrecer/

Sandraf

Concordo totalmente com o comentário do webmaster, e por experiencia própria confirmo que não adianta recorrer a comprimidos para emagrecer, se não tivermos cuidado com a alimentação e a prática de exercícios físicos.

http://pt.joyweightloss.com

mauriciomira

Já passei mal com remédios para emagrecer e muitos amigos meus também.
Não vale a pena.
Melhor optar por produtos naturais, como Herbalife pois o resultado é até melhor e é muito mais seguro.
Eu usei e gostei.
Maurício.

webmasterportugal

Obviamente que só existem dois comprimidos para emagrecer que realmente funcionam quando "ingeridos" com regularidade. E obviamente que eles são a dieta equilibrada e a prática de exercício físico regular. Todos os outros podem apenas ser utilizados como aliados destes dois, sendo que, se usados sem estes, jamais se alcançará resultados satisfatórios, podendo mesmo até trazer problemas maiores.
http://comprimidos-emagrecer.blogspot.pt/