Como fazer regime: dicas para a dieta ideal

Como fazer regime: dicas para a dieta ideal

Fazer dieta é uma das aparentes necessidades do nosso tempo. Existem dietas de Verão, de Inverno, dietas com vista a melhorar a saúde, dietas que excluem a carne, dietas só de peixe e outras que têm como base apenas frutas e legumes. Porém, será que todas as formas de fazer regime são as ideias, as mais saudáveis? 

Nunca fique com fome

Pode dizer-se que fazer um regime que obriga a passar fome não é uma dieta saudável. Para que se consiga realmente perder peso de uma forma equilibrada e duradoura, a receita nunca é passar fome. De pouco servirá almoçar apenas uma ou duas peças de fruta para evitar comer em excesso se a meio da tarde a fome for tanta que se vá devorar um pacote inteiro de bolachas de chocolate. Quando sentimos fome, não conseguimos parar de pensar em comida e essa sensação de desconforto vai levar a que quando finalmente comermos, o façamos de forma descontrolada e voraz, ingerindo uma quantidade muito maior do que aquele que necessitaríamos de consumir caso não estivéssemos tão esfomeados.

Evite os exageros

O que nos faz engordar é sempre muito mais a quantidade exagerada dos alimentos do que os próprios alimentos em si. Desde que se trate de uma pessoa sem problemas de saúde relacionados com a alimentação, nenhum alimento é proibido. Pode comer-se massas, batatas, chocolates, manteigas, queijos e bolos, desde que nas quantidades certas. Normalmente, um prato de tamanho médio fornece a quantidade de comida suficiente para um adulto ficar bem alimentado, ou seja, não existe a necessidade de amontoar comida no prato, nem de repetir a dose. Comer em quantidades exageradas é o que faz com que os alimentos se tornem prejudicais à saúde, fornecendo ao nosso organismo mais gorduras e calorias do que ele consegue desgastar, levando assim a um aumento nocivo de massa gorda. Fazer regime é isso mesmo – evitar exageros!

Não junte vários alimentos “gordos” na mesma refeição

As associações entre alimentos que potencialmente provocam aumento de peso é uma atitude a evitar. Por exemplo, na mesma refeição não convém comer massa e batatas, ou carnes gordas e enchidos. Há que optar por comer apenas um dos elementos ricos em hidratos de carbono em cada refeição. Se comer pão, então não coma batatas, se comer as batatas então não se empanturre com os enchidos. É a sábia combinação dos alimentos que faz deles saudáveis ou não – é assim que se faz um regime saudável! Até mesmo as gorduras fazem falta ao correto funcionamento do nosso corpo, desde que não ultrapassados os limites aconselháveis.

Mastigue devagar e saboreie os alimentos

Qualquer que seja o regime que escolher fazer, procure não engolir os alimentos sem antes os ter mastigado de forma correta. Ingerir grandes pedaços de alimentos, ou alimentos mal mastigados vai fazer com que acabemos a refeição tão depressa que o nosso organismo não tem tempo de se aperceber que já se encontra satisfeito. O resultado é que a sensação de fome persistirá durante mais tempo e, enquanto tivermos fome, existe a forte possibilidade de continuarmos a comer até nos sentirmos saciados. Por outro lado, apreciar o paladar dos alimentos induz a uma correta mastigação dos mesmos, uma vez que se está concentrado em usufruir do sabor de cada garfada de comida que colocar na boca. Desfrutar de uma refeição com calma, ajuda-nos a perceber quando estamos saciados e evitar que nos tornemos exagerados!

Equilibre os alimentos

Como fazer regime? O ideal é que seja com equilíbrio! Ou seja, tente incluir na dieta todos os nutrientes necessários ao funcionamento saudável do corpo. Informe-se sobre qual o valor nutricional de cada alimento em concreto e procure um equilíbrio entre aquilo que pode ou não combinar, fazendo os acertos necessários de forma a não ingerir quantidades exageradas de nutrientes/calorias, em detrimento de outros que sejam igualmente fundamentais. Não tenha receio de fazer contas e cálculos seguindo uma tabela de nutrição. Por vezes, seguir apenas a nossa intuição é insuficiente no que diz respeito à escolha de uma dieta ideal.

Não salte refeições

Fazer as três principais refeições do dia é muito importante para que não se fique com fome durante os intervalos das mesmas. Quem não tenha disponibilidade para fazer refeições tradicionais e queira antes optar por lanches, também pode fazê-lo sem qualquer inconveniente desde que em cada um desses lanches estejam presentes alimentos saudáveis e nutritivos. Uma estratégia muito bem-sucedida por quem segue dietas saudáveis é fazer refeições pequenas e variadas ao longo de todo o dia. Dessa forma, o organismo nunca chega a sentir fome e o corpo vai-se mantendo nutrido de forma equilibrada.

Fuja de dietas milagrosas

Não existem dietas milagrosas e quanto a isso não há nada que se possa fazer. É verdade que algumas dietas permitem perder uma grande quantidade de peso em relativamente pouco tempo mas os resultados obtidos são quase sempre passageiros e o preço a pagar é o jogo de ioiô ao qual se sujeita o corpo e a saúde. Todo o peso que se perde de forma intensiva e recorrendo à fome não só prejudica o corpo, comprometendo o funcionamento dos tecidos e órgãos humanos, como apenas elimina por pouco tempo aquilo que voltará a aparecer assim que se ponha a dieta de lado. Pessoas que ganham e perdem peso sucessivamente são pessoas que ficam com o corpo flácido, registam uma pele sem elasticidade e a saúde muito comprometida, incluindo perturbações de humor e de autoestima decorrentes das sucessivas alterações que a sua imagem vai sofrendo. Fazer um regime bem-sucedido não é entregar-se às dietas da moda!

Desconfie de dietas radicais

De vez em quando surgem no mercado dietas radicais que são baseadas no consumo quase exclusivo de apenas um alimento e que garantem resultados fabulosos. Há que desconfiar dessas dietas. Dificilmente o organismo ficará em bom estado se apenas se alimentar de uma espécie de alimento por muito saudável que este possa ser. O que faz com que uma dieta seja saudável é a capacidade que ela tem de proporcionar ao corpo todos os ingredientes de que necessita, mas nas quantidades equilibradas e indispensáveis. Ora, é complicado conceber que isso seja alcançável excluindo todos os alimentos da dieta menos um, e elegendo apenas esse como sendo a chave do sucesso nutricional.

Procure orientação

Hoje em dia a facilidade com que nos mantemos informados de quase tudo aquilo que precisamos saber é impressionante e deve ser usada em nosso favor. A escolha de uma dieta ideal deve ser fundamentada em pareceres profissionais e não apenas nos conselhos dos amigos, ou nas meras suposições. Consultar um nutricionista é uma estratégia muito sensata, procurar informações credíveis na Internet é uma dica eficaz e deve-se também ir mantendo sempre atento ao desenrolar da dieta, porque cada caso é um caso e nem todos os organismos reagem de igual forma a dietas semelhantes.

Acompanhe a sua dieta

"Cada qual sabe de si", diz o povo e é bem verdade. Cada um de nós é o melhor observador de si mesmo. Para decidir se a dieta que escolhemos é realmente a ideal, tem que ser feito um acompanhamento cuidadoso de todos os aspetos que com ela se relacionam. O regime que escolhi fazer é o ideal? Perdi de facto peso? O peso que perdi não voltou passado algum tempo? Sinto-me bem e com energia para desempenhar as minhas atividades diárias? Tenho sentido perturbações pouco habituais no sono? E no humor? Estas e outras questões merecem a devida atenção para que cada um vá descobrindo se a dieta pela qual optou é, de facto, a mais indicada para si.

Ideal é a dieta que nos faz bem ao corpo e à alma e que nos deixa saudáveis, em boa forma, cheios de energia e disposição para enfrentar os desafios da vida. Perder peso poderá ser o objetivo mais imediato e aquele que leva a maior parte das pessoas a aderirem a dietas, mas garantir a saúde do organismo deve ser sempre a principal preocupação.

Classifique o artigo

Average: 2.5 (4 votos)
Comentários (0)

Add comment

Inicie sessão ou registe-se para publicar comentários