Comer fora quando se está de dieta

Comer fora quando se está de dieta
Jantar fora

O convite para jantar fora era irrecusável e agora ao chegar ao restaurante na companhia dos amigos, prevendo-se uma noite muito bem passada, só consegue pensar: “lá se vai a dieta”! Mune-se dos nossos truques para poder aproveitar qualquer refeição feita fora de casa sem pôr em causa a sua dieta!

Dê uma sugestão. Se conhece um local onde todos possam comer bem e onde sabe que existem pratos perfeitos para a sua dieta, faça a sugestão. Não perde nada.

Coma antes de sair de casa. Pode parecer um contra-senso, mas no fundo é uma excelente dica. Ao fazer um lanche saudável em casa pouco antes de sair, não chegará ao restaurante com vontade de pedir tudo o que está na ementa!

Inaugure os pedidos. Veja a ementa rapidamente, escolhendo logo algo que se enquadre no seu regime e seja o primeiro a pedir. Assim, não corre o risco de ser influenciado pelos pedidos das restantes pessoas.

Ignore o cesto do pão. Entretenha-se a pôr a conversa em dia com a pessoa que está ao seu lado, volte a atenção para a televisão ou leve um livro para ler enquanto não é servido. Se não conseguir mesmo resistir, peça ao empregado que o retire.

Aperitivos sem culpas. Comece sempre a refeição por comer uma sopa ou uma salada. Para além de evitar a vontade de petiscar alheira ou rissóis, quando chegar o prato principal já não terá tanto apetite.

Uma palavra: grelhados! É muito raro não existir na ementa um qualquer prato grelhado – seja carne ou peixe, peça-o! Em alternativa, escolha pratos cozidos, assados ou cozinhados ao vapor. Acompanhado de legumes, arroz integral, batata cozida ou salada e não os quatro em simultâneo.

Armadilhas a evitar. Não caia na tentação de pedir pratos que contenham as palavras: frito, recheado, massa folhada, gratinado, manteiga, natas, queijo…

Malditos molhos. Existem muitos pratos que não seriam os mesmos sem aquele molho. No seu caso, peça-o à parte, colocando duas ou três colheres no seu prato e devolvendo o recipiente ao empregado – assim será mais difícil afogar a sua comida e saboreará, na mesma, aquele gostinho especial.

Para levar por favor! É claro que vão existir dias em que quando deu por ela já pediu uma bela lasanha ou rojões com castanhas de comer e chorar por mais. Ahhh! O que fazer? É simples: quando a refeição chegar divida tudo a meio, consumindo apenas metade (por norma as doses são tão bem servidas que isto será suficiente!). No final, peça para embrulhar a outra metade e desfrute dela em casa no dia seguinte.

Tentação fast-food. Por incrível que pareça, a maioria das cadeias fast-food já oferecem pratos saudáveis – caso das saladas, sopas ou sanduíches. Se se vir encurralado num destes restaurantes pelos seus colegas de trabalho (e a quem obviamente não quer revelar que está de dieta!) não desespere: procure um desses pratos alternativos. Se não conseguir resistir aos hambúrgueres, peça um sem molhos, depois retire-o do pão, corte-o aos bocadinhos e junte-o à sua salada. Com as batatas fritas é que não tem hipótese: são proibidas!

Reparta os males. Se estiver em grupo, pergunte se alguém quer partilhar um prato consigo. Normalmente há sempre alguém com pouca fome, por isso, aproveite a “boleia”!

Doce pecado. A fruta natural ou um sorvete é sempre a melhor solução em termos de sobremesa para quem está de dieta. Claro que um cheesecake ou uma tarte de requeijão fala sempre mais alto, por isso aproveite a boleia anterior e partilhe uma sobremesa – uma vez também não são vezes!

Bebidas seguras. Evite a todo o custo pedir vinho, cerveja, cocktails, sumos ou refrigerantes, optando antes por líquidos pouco calóricos como a água mineral ou com gás, adicionando-lhe uma rodela de limão ou laranja para uma experiência mais saborosa. Para não ficar a “aguar”, beba um golinho de sangria do copo da sua amiga ou namorada.

Não tenha vergonha. Se na ementa consta o prato ideal para si e é amigo da sua dieta, só que inclui queijo gratinado por cima ou um molho hipercalórico, peça para retirarem esses elementos. Não tem de se sentir mal, nem envergonhado… para além de mais, os restaurantes estão habituados a pedidos especiais vindo de clientes.

Câmara lenta. Grande parte do prazer de comer deriva da velocidade a que se degusta: saboreie a comida que tem à sua frente, pouse a faca e o garfo várias vezes ao longo da refeição, participe na conversa, dando ao seu corpo tempo para digerir os alimentos e para perceber verdadeiramente quando está saciado.

Sem culpas. A dieta não vai fugir, por isso, se no jantar ou no almoço deliciou-se com um bacalhau com natas ou uma mousse de chocolate, não estrague o resto do dia ou da noite a culpabilizar-se. Amanhã é outro dia e pode recomeçar o seu regime sem qualquer problema.

Classifique o artigo

Average: 4.7 (25 votos)