7 dicas para resistir ao apetite nocturno

7 dicas para resistir ao apetite nocturno
Bolos em cima da mesa

O dia está finalmente no fim e o tempo agora é de relaxar um pouco no sofá diante da sua série preferida antes de ir para a cama… tudo bem até aqui mas, de repente, só pensa no gelado de caramelo que está no congelador ou naquela caixa de bolachas de chocolate que chama por si na despensa. Para muitas pessoas, ceder aos desejos nocturnos é sinónimo de suportar depois os sentimentos de culpa quando se deitam de barriga cheia e desnecessariamente. Aprenda a resistir ao apetite nocturno, a bem da sua linha.

  1. Qual o motivo da fome? Na maioria das vezes, confundimos o apetite nocturno com cansaço, stress, solidão ou outra emoção qualquer. Antes de atacar o frigorífico a meio da noite, pergunte-se se tem realmente fome: se sim ingira algo light como um chá e algumas bolachas Maria. Se é o cansaço que lhe pesa, vá para a cama. Sente-se sozinho? Ligue a um amigo ou procure uma conversa online através do Messenger, e-mail ou uma comunidade da qual é membro. Está irrequieto? Ouça música, leia um livro, faça arrumações… Está stressado? Não utilize a comida para esquecer ou fugir dos problemas, enfrente-os como deve ser.
  2. Ponha-se a mexer. Uma excelente forma de evitar o apetite nocturno é fazer algum tipo de exercício físico depois do jantar – uma caminhada, uma hora de natação ou até ioga ou pilates. Sentir-se-á tão bem que não vai precisar, nem desejar comer. Se a ideia de actividade física nocturna não lhe agradar, só o facto de sair e tomar um café ou dar uma volta com um amigo pode ajudar porque provavelmente quando chegar a casa irá directamente para a cama.  
  3. Alimentação diária completa. Os alimentos e a forma como come durante o dia afectam directamente os ataques vorazes que surgem durante a noite. Se não comer bem ao longo do dia (5-6 refeições saudáveis) e/ou saltar refeições, à noite o corpo vai ressentir-se e a insatisfação alimentar vai levar a assaltos repetidos à cozinha. 
  4. Guloseimas não entram. Se a proximidade com os alimentos é a sua maior tentação, não há melhor remédio do que bani-los de casa – ou seja, evite comprar as guloseimas às quais não consegue resistir e opte antes por encher o frigorífico e despensa com alternativas saudáveis.
  5. Lavar os dentes. O truque mais antigo para evitar os ataques de fome nocturnos é lavar os dentes logo depois do jantar; assim, quando surgir a vontade de trincar qualquer coisa pensará duas vezes porque tem a boca fresca e a saber a pasta de dentes, o que não combina nada bem com a maioria dos alimentos. Aos poucos, este é um hábito que consegue adquirir e cumprir.
  6. Pense no corpo. Os alimentos que ingerir à noite são rapidamente assimilados pelo organismo uma vez que vai dormir logo ou quase logo a seguir. O resultado? Calorias acumuladas, gordura acumulada, celulite acumulada. Três motivos mais do que suficientes para dizer não àquele pão com Nutella.
  7. Controlar o stress. À noite, quando estamos no conforto da nossa casa, muitas vezes a remoer os pontos altos e baixos do dia, deixamo-nos ir… e quando demos por ela já comemos um pacote de bolachas inteiro ou uma tablete de chocolate. Dizemos para nós próprios que “é só hoje” ou “estou mesmo a precisar” e “amanhã já entro nos eixos”, mas este tipo de desculpa é típica de ciclos viciosos que, como todos nós sabemos, engordam. Controle o stress através de mil e uma actividades ou passatempos relaxantes em vez de se refugiar na comida.

Classifique o artigo

Average: 4.1 (49 votos)